Por que Cantar? por Samuel Whitefield

A Bíblia ordena repetidamente que cantemos e prediz que a igreja será um povo que estará cantando na hora mais difícil da história.

Isso levanta uma questão profunda:

Por quê Deus usa o canto de maneira tão profunda?

Por quê cantar e tão central na Bíblia e por que Deus deseja que as nações se encham de canto (Salmo 96; 98; 149; Isaías 24: 15-16; 42:10; Colossenses 3:16; Efésios 5:19)?

Existem várias razões pelas quais cantar é tão importante na Bíblia, mas também várias razões práticas para cantar.

A primeira é que cantar, rapidamente move nossas emoções de uma maneira que apenas falar raramente o faz.

Deus quer que nossas emoções estejam conectadas ao Seu plano de redimir as nações.

Não é suficiente simplesmente entender Seu plano; precisamos de nossos corações profundamente conectados a esse plano.

Queremos sentir o que o Pai sente por Seu Servo libertando a Terra. Quando sentimos isso, trabalharemos com o Pai até que isso aconteça.

Cantar permite que a verdade ignore grande parte de nossa resistência natural e vá imediatamente para nossos corações. É por isso que o ato de cantar e as canções são ferramentas tão poderosas para o bem e para o mal.

Nós facilmente nos encontramos cantando músicas e repetindo letras, mesmo quando não concordamos com elas por causa do poder da música.
É a razão pela qual o político escocês Andrew Fletcher disse uma vez: “Deixe-me escrever as músicas de uma nação, e não me importarei com quem escreve suas leis”.

Cantar é uma experiência corporativa.

Quando declaramos a glória de Deus na música, toda a congregação naturalmente começa a se juntar. Todos têm um papel a desempenhar e, portanto, todos estão muito mais envolvidos. Seja um culto da igreja corporativo ou até um show de rock, declarar algo através da música resulta em todo o grupo de pessoas declarando a verdade juntas.

Existe um senso de unidade e identidade corporativa que surge quando cantamos.

Quando um pregador declara a Palavra de Deus, a maioria das pessoas escuta enquanto alguém declara a verdade. Cantar, por outro lado, envolve todo o corpo coletivamente. Isso não significa que devemos negligenciar a pregação da Palavra – a pregação é um dos meios que Deus deu à congregação para ouvir as instruções de Deus. O ensino da Palavra deve conectar nossos corações ao plano de Deus, e o resultado deve ser um canto poderoso em nossas igrejas e lares, que fortalece nossa propriedade e compromisso com a Palavra de Deus.

Isso fazia parte do poder do movimento metodista. Havia pregadores como John e Charles Wesley, mas Charles se dedicou a escrever canções e essas músicas tiveram um papel fundamental no estabelecimento do movimento.

As músicas marcam grandes momentos redentores da história e momentos ao longo de nossas vidas. Podemos nos lembrar de músicas em vários pontos de nossas vidas. O “Cântico de Moisés” foi associado ao êxodo. Nos tempos vindouros, lembraremos das músicas cantadas em momentos-chave da história redentora.

Haverá canções específicas associadas ao retorno do Senhor.

As músicas também podem ajudar a estimular o espírito de profecia.
Eliseu chamou um músico e o Espírito do Senhor veio sobre ele.

Porém,agora trazei-me uma harpista. Enquanto o harpista tocava,o poder do SENHOR veio sobre Eliseu.” 2 Reis 3:15 (A21)

As músicas ficam conosco por toda a vida. Raramente repetimos as frases que ouvimos alguém falar, mas constantemente repetimos frases da verdade que cantamos. É muito mais fácil memorizar as coisas que cantamos do que as que falamos ou ouvimos. Quando essas músicas vêm à mente, elas carregam emoções, o que as torna ainda mais poderosas.

Deus também quer encher a terra de canções porque ama canções.
Faz parte de Sua natureza. Ao longo do livro do Apocalipse, vemos o ponto culminante do plano de redenção da perspectiva do céu e ao longo do livro o canto e a música são enfatizados.

Deus se envolve com canções em Apocalipse 4-5.

Os anciãos e mártires no céu estão diante do trono com harpas nas mãos (Apocalipse 5:8; 15:2). Através do livro, as canções surgem como uma resposta a quem Deus é e a Sua atividade (Apocalipse 5: 9-10, 12-13; 7: 9-12; 15: 3; 19: 1-5).

O Senhor se envolve com a música porque gosta dela. Ele é musical e é por isso que somos musicais. Nossa relação com canções e música está ligada a sermos feitos à Sua imagem. Existe uma conexão profunda entre o amor de Deus por música e nosso próprio desejo natural por música. Jesus nos ensinou a orar para que a terra se tornasse como o céu:

Portanto, orai deste modo: Pai nosso, que estás no céu , santificado seja o teu nome; venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu.” Mateus 6: 9–10 (A21)

Essa oração também nos dá uma visão tremenda sobre por que Deus quer que as canções sejam lançadas na terra antes que Jesus venha. Deus se envolve com canções no céu porque ele desfruta delas.

O primeiro pedido de oração de Jesus por nós é que orássemos para que a Terra se tornasse como o céu. Parte do motivo pelo qual o Pai nos instrui a encher a terra de canções é porque é disso que Jesus desfruta. Faz parte da preparação da terra para o governo de Jesus. Isso faz a terra se parecer com o céu.

A primeira vez que Jesus veio, houve um completo silêncio na terra. Ninguém reconheceu o que estava acontecendo. Estava tão silencioso que os anjos invadiram a cena nos arredores de Belém e declararam aos pastores o que estava acontecendo.

Os anjos tiveram que anunciar a primeira vinda de Jesus porque os humanos não estavam fazendo o que somos chamados a fazer. Ainda não havíamos tomado o nosso lugar.

No entanto, a segunda vinda será muito diferente. Nós vamos tomar o nosso lugar. A terra será preenchida com as canções dos homens declarando a volta do Senhor e fazendo com que a terra comece a parecer com o céu.


Samuel Whitefield

Fonte: https://samuelwhitefield.com/2941/why-singing

Tradução: Esdras Neves

2 comentários em “Por que Cantar? por Samuel Whitefield

Deixe uma resposta