Por que o preterismo parcial leva a uma heresia completa por Samuel Whitefield

Se você ouvir preteristas parciais apresentarem sua posição, não demorará muito até que eles retornem a Mateus 24:34 como uma pedra fundamental de sua posição.

“Assim vos digo que não passará esta geração sem que todas estas coisas aconteçam.” (Mateus 24:34)

Preteristas parciais gastam muito esforço para explicar como “esta geração” só pode significar a geração com a qual Jesus estava falando e, portanto, significa que as previsões de Mateus 24 foram cumpridas no primeiro século. Embora os preteristas parciais apresentam um argumento convincente de que esta é uma questão resolvida, também é muito importante ver que a visão dos preteristas parciais da passagem não é tão clara como se afirma, porque para ser consistente com sua visão de “esta geração” eles também devem estar comprometidos com o fato de que “todas essas coisas” devem ocorrer antes que “esta geração” desapareça.

Jesus é muito claro que “todas essas coisas” devem acontecer até que “esta geração” possa passar. O que são “todas essas coisas?” São as previsões específicas de Mateus 24: 15-33. Os versículos 15-33 mostram uma clara progressão dos eventos e Mateus a apresenta como uma única unidade literária, iniciando e terminando a passagem com a frase “quando virdes”. “Todas essas coisas” são as coisas vistas entre os versículos 15 e 33.

Quando examinamos a lista de eventos considerados em “todas essas coisas”, precisamos lutar especialmente com os versículos 27-31. Para interpretar Mateus 24 de maneira consistente, simplesmente não há maneira de contornar o fato de que os versículos 27-31 descrevem o retorno de Jesus em um cenário apocalíptico. O texto descreve claramente um retorno globalmente visível de Jesus para resolver uma crise centrada em Jerusalém que começa com tribulações sem paralelos e uma abominação (Mateus 24: 15-26) [1] . Isso fica bem claro quando examinamos algumas das passagens que Jesus cita nesta seção. Em Mateus 24:30, Jesus cita Zacarias 12: 10-11 da Septuaginta profetizando um dia em que os olhos de Israel serão abertos e eles reconhecerão quem Ele é e começarão a lamentar-se em dor por causa da rejeição Dele. Será um tempo em que Israel receberá graça e espírito de súplica para clamar por Jesus.

“E sobre a casa de Davi, e sobre os habitantes de Jerusalém, derramarei o Espírito de graça e súplica; então eles olharão para mim a quem eles perfuram. Sim, eles irão chorar por Ele como alguém que chora por seu único filho, e chorar por Ele como um choro por um primogênito. Naquele dia haverá um grande luto em Jerusalém, como o luto em Hadad Rimom, na planície de Megido.” (Zacarias 12: 10–11)

Claro, que isso não aconteceu em 70 dC. O luto em Israel em 70 dC foi de um tempo completamente diferente. As pessoas estavam de luto, mas não de luto relacionado ao reconhecimento de Jesus como o próprio Filho de Deus, sua rejeição a Ele e sua reconciliação final com Ele. O luto de 70 dC foi o oposto. A nação não reconheceu Jesus e, em vez disso, tornou-se mais e mais resistente a ele. Jesus também resume a profecia de Isaías em Isaías 27:13 de uma trombeta final e um reajuntamento final de Israel para a adoração de YHWH em Jerusalém. Portanto, se “todas essas coisas” aconteceram em 70 dC, então isso significa que a grande trombeta final e o reagrupamento de Isaías 27 também ocorreu neste tempo.

“Assim será naquele dia: a grande trombeta será tocada; Eles virão, que estão prestes a perecer na terra da Assíria, E os que são marginalizados na terra do Egito, e adorarão ao Senhor no monte santo em Jerusalém.” (Isaías 27:13 NKJV)

Paulo vai um passo além de Isaías e nos diz que esta trombeta também resulta na ressurreição dos mortos.

“Em um momento, num piscar de olhos, na última trombeta. Pois a trombeta tocará, e os mortos serão ressuscitados incorruptíveis, e seremos transformados.” (1 Coríntios 15:52)

“Porque o próprio Senhor descerá do céu com um brado, com a voz de um arcanjo e com a trombeta de Deus. E os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro.” (1 Tessalonicenses 4:16)

Portanto, sabemos que, pelo menos, “todas essas coisas” devem incluir o retorno global e visível de Jesus, o ajuntamento final dos judeus das nações (especificamente a Assíria e o Egito), YHWH recebendo adoração pura dos judeus em Jerusalém, e a ressurreição dos mortos. Em outras palavras, porque Jesus está construindo uma escatologia consistente, todos os eventos escatológicos que estão descritos em seu resumo da escatologia do Antigo Testamento em Mateus 24 devem ter seu cumprimento antes que “esta geração” passe.

Também precisamos considerar Mateus 23:39, que tem exatamente a mesma situação que encontramos em Mateus 24:34.

“porque eu vos digo que não me vereis mais até que digas: ‘Bendito aquele que vem em nome do SENHOR!” (Mateus 23:39)

Assim como preteristas parciais apontam que “esta geração” tem que significar “esta geração” em Mateus 24:34, também devemos reconhecer que “vocês” em Mateus 23:39 deve significar “vocês”. Em outras palavras, se a linguagem de Jesus limita seu destino às pessoas que estão à sua frente em Mateus 24:34 então a mesma coisa é feita em Mateus 23:39, que diz claramente que o povo de Mateus 23 não o verá novamente até que o recebam em nome do Senhor. A aplicação da visão preterista a esse versículo exige que os líderes religiosos judeus específicos que Jesus estava abordando o recebam de uma boa maneira para que Ele possa retornar. Obviamente isso não aconteceu e é extremamente problemático para a posição preterista em Mateus 24:34.

Muitos também esquecem que Mateus 25: 31-46 está no enredo de Mateus 24: 15-33. O julgamento de Mateus 25 é simplesmente a reafirmação de Jesus da profecia de Joel 3 e Zacarias 14. O julgamento de Joel 3 que Jesus resume em Mateus 25 está inseparavelmente ligado à crise em Jerusalém prevista em Mateus 24: 15-22. se “esta geração” se refere apenas aos indivíduos que ouviram as previsões de Jesus, significa que o julgamento de Mateus 25 também deve ocorrer nesta geração. Obviamente, é claro que Joel 3, Zacarias 14 ou Mateus 25: 31-46 não ocorreram no primeiro século.

É importante entender que Mateus 24-25 não é um novo ensinamento de Jesus. Em vez disso, é um resumo e afirmação da escatologia estabelecida por Israel. É um belo resumo do que é profetizado e é, de uma maneira muito real, o cruzamento de toda profecia bíblica sobre o retorno de Jesus. O que está em jogo em Mateus 24-25 não é apenas um simples ensinamento de Jesus, é toda a escatologia das Escrituras. Tudo o que os profetas profetizaram se reúne em Mateus 24 e tudo isso deve ser cumprido antes que “esta geração” passe.

Como os preteristas parciais constroem seu caso em Mateus 24:34, eles devem construí-lo de forma consistente e foi exatamente por isso que intitulei este artigo da maneira que fiz. O título é inflamatório, mas também aponta uma questão crítica que está sendo negligenciada por muitos que adotam prematuramente uma posição preterista parcial – você não pode dividir a escatologia que Jesus resume. “Todas essas coisas” significa “todas essas coisas”. Portanto, ter uma visão preterista de “esta geração” em Mateus 24:34 exige, se você for consistente em sua interpretação, de você assumir uma posição preterista completa ou “hiper” em relação a ” todas essas coisas ”preditas por Jesus antes do versículo 34. A trombeta final, a ressurreição e o retorno de Jesus devem ter acontecido antes do final do primeiro século, se você interpretar consistentemente Mateus 24:34 de acordo com uma visão preterista.

A grande maioria da igreja sempre sustentou que qualquer visão do retorno de Jesus que não seja futurista, o retorno corporal é uma visão herética e é por isso que digo que o preterismo parcial leva a uma heresia completa. O preterismo parcial, se aplicado de forma consistente a Mateus 24, resultará em preterismo completo que a igreja há muito define como uma visão herética. Não se trata apenas de corrigir a interpretação de uma passagem bíblica, que é importante por si só, mas também é crítica para o futuro da igreja. Uma visão preterista de Mateus 24, na verdade, coloca a igreja em fracasso principalmente em duas questões devastadoras.

Primeiro, a posição preterista sustenta a visão de que a “grande tribulação” que Jesus prediz já ocorreu e, portanto, a igreja não precisa se preparar para problemas incomparáveis. No entanto, a realidade é que a grande tribulação ​​permanecem à nossa frente. Deus liberará grande poder sobre a igreja naquela época, mas a Bíblia é consistente que é um tempo de tribulação inigualável. A visão preterista deixa a igreja completamente despreparada para esta estação e posiciona os crentes para se ofenderem e caírem à medida que a perseguição aumenta em muitas partes da terra, porque rouba a esperança apostólica do coração do povo. A esperança apostólica percebe que o problema virá, mas no meio da tribulação estamos ancorados na promessa do retorno corporal de Jesus.

Preterismo diz que o problema não está vindo e Jesus já retornou. Portanto, não há preparação para a tribulação, nem qualquer esperança vibrante no meio dela quando ela chegar. Até mesmo o preterismo parcial separa as pessoas dessa esperança bíblica.

Em segundo lugar, a visão preterista desconecta completamente a igreja da crise que está chegando a Jerusalém. As Escrituras são consistentes em dizer que esta era termina com problemas em Jerusalém e a salvação nacional de todo o Israel. É por isso que devemos entender este problema e qual é o plano de Deus para ele (Mateus 24:15). O preterismo nos diz que todas essas profecias já foram cumpridas e, portanto, o problema no Oriente Médio não tem significado bíblico. Isso deixa a igreja completamente desconectada da coisa principal que Deus enfatizará no final dos tempos e sem qualquer compreensão do que está acontecendo bem diante de nós.

Há muitas outras questões que precisam ser abordadas com relação à visão preterista das Escrituras, e é importante que entendamos biblicamente o que Jesus quis dizer com “esta geração”. Os preteristas passarão uma quantidade significativa de tempo repetindo que isso só pode significar a pessoas com as quais Jesus estava falando, mas já vimos que essa interpretação nos obriga a ter uma visão herética da profecia bíblica. Sempre que a interpretação de uma frase nas Escrituras o força a ter uma visão herética da segunda vinda e a violar o testemunho da maioria das Escrituras esta interpretação deve ser questionada – especialmente por causa das consequências devastadoras que ela tem para a igreja nesta geração .

[1] Também devemos lembrar que o Holocausto excedeu em 6 vezes o problema do ano 70 dC, tornando impossível colocar Mateus 24:21 no passado.


Samuel Whitefield

Fonte: https://samuelwhitefield.com/855/why-partial-preterism-leads-to-a-full-heresy

Tradução: Angelo Bazzo

Deixe uma resposta